CUFA cria Festival Favela Literária

Iniciativa acontecerá em vários estados, e terá primeira edição no Rio de Janeiro

 

Com o objetivo de difundir e integrar a literatura das favelas, seus autores e sua arte, a Central Única das Favelas (CUFA) está lançando o Festival Favela Literária. A iniciativa deverá acontecer em 24 capitais e em todas as sedes das Cufas, espalhadas pelo país, em mais de 400 cidades.

 

A edição de estreia será no Rio de Janeiro nos dias 3 e 4 de novembro, o último no Dia da Favela, na sede da instituição, no Viaduto de Madureira. Na ocasião, autores moradores de favela vão expor as suas obras e farão palestras aos presentes, falando das suas experiências nestes territórios e da cultura presente neles, em geral.

 

“Não temos a intenção de competir com nenhuma grande feira literária. Ao contrário, queremos descentralizar e levar a literatura da favela para a própria favela”, afirmou a vice-presidente nacional da CUFA, Revalina Aparecida da Silva.

 

O festival não quer simplesmente levar os livros para apresentar aos moradores, quer também apresentar esses moradores escritores para a sociedade. Por isso, esse festival acontece nas sedes das Cufas e em espaços de parceiros ou espaços públicos como praças ou escolas, desde que o produto apresentado se trate de obras de moradores de favelas e seus sinônimos com os mais variados temas.

 

“Eu acabo de lançar um livro e estou tendo a oportunidade de lançar em várias feiras. Isso é importante, mas fazer nosso lançamento para as pessoas que são retratadas por nós é o máximo”, comemora o presidente da CUFA Global, Preto Zezé, que acaba de lançar o livro “Das Quadras Para o Mundo”.

 

A CUFA escolheu realizar o Festival no dia 4 de novembro, por ser uma data simbólica, pois é comemorado o Dia da Favela, afinal foi nesse dia em 1900 que pela primeira vez esse nome foi formalmente escrito em documento público, sinalizando o Morro da Providência com este nome.

 

“A ideia é ótima e já vamos começar a preparar o Viaduto de Madureira para receber nossos escritores, nossos livros e por que não promover um grande sarau para alegrar o dia?”, festeja Nega Gizza, diretora e fundadora da CUFA.

 

Além de exposição de livros e palestras, a atividade vai contar com rodas de poesias. No final dos dois dias, acontecerá um sarau. Alguns dos palestrantes do Festival serão Sinara Rúbia, Jessé Andarilho, Preto Zezé, Anderson Quack, MV Bill, Rodrigo Felha, entre outros.