• Ação Humanitária
  • Com 67 mil sonhos embarcados, a Favela Vai Voando completa 6 anos, na próxima terça-feira

Com 67 mil sonhos embarcados, a Favela Vai Voando completa 6 anos, na próxima terça-feira

Primeira empresa do ramo do turismo focada no público de favelas já faturou R$ 31 milhões, desde 2013

 

 

A Favela Vai Voando (FVV), primeira empresa do ramo do turismo focada no público das favelas no país, completa seis anos, no próximo dia 5 de novembro, terça-feira. Para celebrar a data, haverá um grande café da manhã no Viaduto de Madureira, sede da Central Única das Favelas (CUFA), no Rio de Janeiro, parceira social da FVV e da Favela Holding – holding social que conta com 22 empresas que atuam em comunidades potentes, entre elas a FVV.

 

No evento de celebração, estarão presentes, franqueados que tem agências da FVV em favelas, moradores de favelas que desejam conhecer a empresa e as diretorias da FVV e da Vai Voando, empresa mãe que tem as agências de viagens focada para o público C, D e E.

 

Desde o dia 5 de novembro de 2013, a Favela Vai Voando já faturou R$ 31 milhões, empregou mais 500 pessoas, com dezenas de agências espalhadas por favelas de todo o Brasil e embarcou 67 mil passageiros (todos moradores de favela, 99% de avião), realizando, assim, 67 mil sonhos.

 

Na oportunidade, Thales Pereira Athayde se desliga da gestão da empresa que passa a ser dirigida por Marilza Pereira Athayde, agora CEO da FVV.

 

"Hoje me desligo formalmente da FVV, que passa para a minha coroa, Marilza, e vou me dedicar a administração do Box Mineiro e da preparação do Favela Box (comida mineira vendida em box) somente, porém ela sempre esteve por perto da operação e por isso não terá nenhuma dificuldade”, se despediu Thales, ex-CEO da FVV.

 

“Olhando para tudo que a Favela Vai Voando construiu, é chover no molhado dizer que favela é território de potência. Esses territórios, juntos no Brasil, têm quase 15 milhões de pessoas e movimentam R$ 85 bilhões, anualmente”, falou Marilza Pereira. “O nosso diferencial é que é de favela pra favela. Falamos a linguagem do favelado, e assim encurtamos as distâncias do Brasil, proporcionando ao morador de favela a matar a saudade de um parente, que mora em outro estado, ou conhecer um lugar que sempre sonhou”, completou.

 

A Favela Vai Voando oferece passagens pré-pagas, parceladas em 12 vezes no carnê, sem consulta ao SPC/Serasa. Para quem deseja se tornar um franqueado, o custo é mais baixo do que a média de outras agências de viagem que estão no mercado.

 

 

Foto: Murilo Borges