• Arte e cultura
  • CUFA comemora Dia da Favela com Festival Favela Literária

 

Para celebrar o Dia da Favela (4 de novembro), a Central Única das Favelas (CUFA) realizou o Festival Favela Literária, nos últimos dias 3 e 4 de novembro (domingo e segunda-feira), na sua sede no Viaduto de Madureira, no Rio de Janeiro.

 

O evento contou com exposições de livros, somente escritos por autores moradores de favelas, intervenções musicais ligadas à cultura destes territórios, saraus e roda de conversa, onde a produção literária foi debatida.

 

“Acredito que foram dois dias muito especiais. Todo mundo saiu feliz. Conseguimos reunir moradores de favelas de diversas áreas, que conseguem produzir cultura de várias formas, nesses territórios”, comemorou Nega Gizza, diretora da CUFA Rio.

 

No domingo, Rejane Barcelos, Otávio Júnior, Flávia Pinto e Marcos Diniz debateram Produção Literária na Favela, Periferia e suas Manifestações, em roda mediada por Anderson Quack. Na segunda-feira, Renê Silva, Anderson Quack, Jonathan Aguiar, Lu Ain-Zaila e Jessé Andarilho debateram Literatura Infanto-Juvenil e de favela, em geral, com a mediação de Binho Cultura.

 

“Esse evento foi muito importante, porque mais uma vez a CUFA funcionou com uma janela para mostrar as coisas boas que nós favelados fazemos. A CUFA fez o Hutúz, faz a Taça das Favelas e agora entra no ramo da literatura com o Festiva Favela Literária”, disse Anderson Quack, autor do livro “No Olho do Furacão”.

 

Além da exposição de livros e rodas de conversa, se apresentaram o Slam Maré Cheia, Instituto Black Bom, Companhia de Teatro Tumulto, Passinho Carioca, Bruno Barbudo, entre outros.

 

Foto: Íris Cristina/CUFA