• Ação Humanitária
  • Em Esteio, Rio Grande do Sul, coordenador revela próximos passos da CUFA

O Projeto Costurando Cidadania que atende 80 mulheres para formação profissional na área do corte e costura, empreendedorismo e economia solidária, segue em expansão na CUFA Esteio. Ao final do curso, grupos produtivos serão formalizados e a sala de aula se transformará em cooperativa. 

De acordo com Eduardo Cardoso, coordenador da CUFA no município, outros dois projetos estão em prototipagem na cidade: uma cozinha comunitária que servirá de sala de aula e oficina de produção para geração de renda e uma cooperativa de serviços gerais, uma vez que boa parte do público da CUFA trabalha como diarista. "A ideia é organizar as mulheres chefes de famílias para que juntas possam produzir coletivamente, nossa missão é ensinar a pescar e emprestar a vara de pesca."

A entidade possui um plano de desenvolvimento para o Território de Paz pois abrange as 5 comunidades com maior vulnerabilidade socioeconômica da cidade. Além da geração de renda, também são desenvolvidas ações que visam promover e garantir os direitos das crianças e adolescentes, por meio de cursos de qualificação e oficinas que oportunizam a convivência comunitária, lazer, esporte e cultura. Totalmente, 125 crianças e adolescentes participarão das atividades a serem iniciadas na próxima semana. 

Cardoso ainda salienta que nos próximos dias a CUFA lançará o maior projeto de inclusão digital do país, o Mães da Favela On, que beneficiará 500 mil famílias a partir de chips de celulares com pacote de dados, ligações ilimitadas, conteúdos livres para acesso online de educação, esporte, saúde e negócios chancelados pela Unesco. Em Esteio, 1.000 famílias receberão o benefício.