• Ação Humanitária
  • Alô Social foi lançada como a primeira empresa de telefonia móvel social do Brasil, na última quarta-feira, dia 28

O mercado brasileiro ganhou oficialmente mais uma opção de telefonia móvel, na última quarta-feira, dia 28 de outubro. A Alô Social, mais uma empresa do Grupo Favela Holding, foi lançada em sua sede, em Barueri-SP.

O evento de lançameto contou com a presença do presidente da Favela Holding e fundador da Central Única das Favelas (CUFA), Celso Athayde, e o CEO da Alô Social, Thales Athayde, dos embaixadores da marca, Hélio de la Peña, Dudu Nobre, Serjão Loroza, Nega Gizza e MV Bill, e de alguns representantes de empresas parceiras, como Ronaldo Yoshida, diretor da Dry, e Yon Moreira, CEO do Surf Group.

A Alô Social entra no mercado com o objetivo de ser uma opção para democratizar o acesso à comunicação e internet e pretende chegar a 4 milhões de clientes até junho de 2021.

“Hoje iniciamos um processo, que já começa gigante e a tendência é crescer mais e mais. Com a capilaridade da CUFA, nas mais de 5 mil favelas do Brasil, e o viés empresarial da Favela Holding, num futuro próximo, estaremos ao lado das grandes operadoras”, projetou Thales Athayde, CEO da Alô Social.

As lideranças da CUFA, em favelas de todo o Brasil, ficarão responsáveis pela divulgação da marca, localmente, distribuição e comercialização dos chips da Alô Social.

“Hoje não é dia de uma grande festa, hoje é um start de um grande projeto que começou há 20 anos atrás, quando a CUFA começou. Éramos jovens tentando mudar o mundo. E ainda somos. O social é importante, mas temos que ir além. Temos que fazer o social, por vias econômicas. E o Alô Social veio para viabilizar tudo isso. Temos a possibilidade de impactar moradores de favela de todo o país, que não serão funcionários, mas serão sócios da primeira operadora de telefonia móvel do Brasil”, explicou Celso Athayde, CEO da Favela Holding.

A operadora irá disponibilizar aos seus clientes um serviço de telefonia móvel pré-pago com vantagens de planos pós-pagos aos menores preços praticados no mercado, para que a maioria da população tenha acesso. Entre os benefícios estão serviços de ligações, SMS, WhatsApp livre (mensagens de texto, fotos e chamadas de voz não são descontados da franquia de dados), internet ininterrupta (mesmo após consumir 100% da internet, os clientes continuam navegando em velocidade reduzida durante a vigência do pacote), benefícios cumulativos e roaming gratuito, além da maior cobertura 4G em todo o Brasil.

O caráter social da empresa está no seu DNA. Antes mesmo de ser lançada, a Alô Social Celular já está operando em parceria com a TIM no projeto Mães da Favela ON, iniciativa da Central CUFA para combater o isolamento digital de 500 mil mães, em favelas de todo o Brasil. Essas mães, espalhadas em favelas de todo o país, receberam os seus chips da Alô Social, com acesso ilimitado à internet por seis meses e conteúdo de educação e empreendedorismo.


Foto: Paulo Henrique